PERFIL DO SETOR

IEMI - Instituto de Estudos e Marketing Industrial - Criado em 1985 para atender a crescente demanda das indústrias e entidades por dados numéricos e comportamentais relativos aos seus mercados, bem como para ajudar a sustentar o planejamento de suas ações, o IEMI tornou-se a principal fonte de informações para importantes setores da economia do país.
Atua em todo território nacional contribuindo para o melhor desenvolvimento de seus clientes, além de ter parceiros para realização de estudos e pesquisas nos principais mercados do mundo.  http://www.iemi.com.br

ABIT - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção – A Central de Serviços da Abit presta total apoio e oferece vantagens especiais e exclusivas aos associados nas seguintes áreas: Jurídica, Tecnologia e Inovação, Comunicação, Comércio Exterior, Economia, Relações Governamentais, entre outras.  Colabora na promoção da melhoria contínua de competitividade da cadeia têxtil paulista por meio da capacitação tecnológica, qualidade, infraestrutura e meio ambiente. O departamento estimula a educação para o trabalho, assistência técnica e difusão da tecnologia. Em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), ainda cria um canal direto com as concessionárias de serviços públicos de água, energia elétrica, gás e telecomunicações. Além de todos os serviços, oferece orientação para opção tarifária e auxílio na correção de pontos de desperdício na empresa.
http://abit.org.br/habitosdeconsumos


BREVE HISTÓRICO

NACIONAL – ABIT (fonte)
Perfil do Setor confecção:
Dados Gerais do Setor atualizados em 2010, referentes ao ano de 2009

- Faturamento da Cadeia Têxtil e de Confecção: US$ 47,4 bilhões (em 2008, registrou US$ 46 bilhões. Para o ano de 2010 a expectativa é de que o setor atinja faturamento de US$ 52 bilhões)

- Exportações (sem fibra de algodão): US$ 1,2 bilhão, contra US$ 1,7 bilhão em 2008

- Importações (sem fibra de algodão): US$ 3,4 bilhões, contra US$ 3,7 bilhões em 2008

- Saldo da balança comercial (sem fibra de algodão): US$ 2,2 bilhões negativos, contra US$ 2 bilhões negativos em 2008

- Investimentos no setor: US$ 850 milhões em 2009, contra US$ 1,5 bilhão em 2008

- Produção média de confecção: 9,8 bilhões de peças

- Trabalhadores: 1,7 milhão de empregados, dos quais 75% são mão-de-obra feminina

- 2º. maior empregador da indústria de transformação

- 2º. Maior gerador do primeiro emprego

- Número de empresas: 30 mil

- Quinto maior produtor têxtil do mundo

- Segundo maior produtor e terceiro maior consumidor de denim do mundo

- Representa 13,15% dos empregos na Indústria de Transformação e cerca de 3,5% do PIB total brasileiro.